Hoje, na época dos morangos com açucar, já não há destas relíquias.

Mais uma que inevitavelmente se via cá em casa no início da década de 90 e se cantavam as letras de cor . Nesta altura os ídolos dos mais pequenos eram o Popas, o Becas, o Egas , o Ferrão... o Monstro das Bolachas!!! Que saudades...

Venham daí... vamos até à Rua Sésamo recordar a introdução.

  

 

 

 

publicado por ProfZ às 10:02 |

É uma notícia  sobre novas tecnologias no jornal Sol e no Timesonline

 

Este é mais um capítulo para juntar à história da batuta... que iniciei no post anterior.

 

Um Robot, dirigiu pela primeira vez no dia 13 de Maio de 2008 uma orquestra nos Estados Unidos.

O  ASIMO (sigla em inglês para Aparelho Avançado em Mobilidade Inovadora)  foi construído pela  Honda e a sua última versão foi apresentada em Dezembro de 2007. Este robot pode correr, andar em superfícies irregulares, agarrar objectos e reconhecer pessoas  com os seu "olhos", que são duas câmaras.

Agora foi-lhe dada uma nova missão.

Num concerto da  Orquestra Sinfónica de Detroit  dirigiu   a obra "The impossible Dream".  

Afinal, parece que já não é impossível!

 

Originariamente este tema era uma canção do filme "Man of La Mancha", um musical dedicado a D. Quixote com música do compositor americano Mitch Leigh .  Em 1995  o mesmo tema foi utilizado pela Honda numa das suas publicidades e pode ser visto aqui.

 

O vídeo, acabadinho de colocar no Youtube,  mostra o ASIMO com a sua orquestra.  Este foi programado para gesticular como o maestro principal da orquestra, Charles Burke: articula a cabeça e dirige com uma ou duas mãos. 

 

Claro... apesar de ter desempenhado bem as suas funções, tem as suas limitações, porque a interpretação de uma obra musical, não é uma actividade mecânica.

A interpretação musical é muito mais que uma simples leitura de símbolos, pois envolve sentimentos,  cognição, estética, etc.  Permite que a música não seja rígida e tocada de forma "quadrada", isto é, não seguindo as pulsações  de forma milimétrica.

 

No fundo, pretende-se que a  música seja uma linguagem, como a comunicção oral... que tenha frases aceleradas, outras mais lentas e mais emotivas, vírgulas, pontos finais, exclamações... etc. etc. ou seja... pretende-se  que se fale através dos instrumentos.

 

publicado por ProfZ às 22:10 |

Hoje foi dia de Visita de estudo organizada pela professora de Educação e Moral e Religiosa Católica para os alunos do 5º ano.

Destino ... Fátima.

Um dia fantástico, com experiências inesquecíveis para todos... 

Até a chuva diluviana ajudou a preservar este dia na memória por muitos e muitos aninhos....

 

As fotos não retratam todos os momentos; estes e  os locais de recolhimento e oração ficarão para cada um dos que participaram na visita.

 

Tem música, mas não inicia automaticamente. Terá que clicar no respectivo símbolo.

 

 

publicado por ProfZ às 10:45 |

Batuta, não é nome de palhaço, como já referiu um dos meus anjinhos. 

 

É uma varinha, normalmente de madeira leve, que é utilizada na idade moderna pelos maestros, para marcar o ritmo e dar indicações precisas de interpretação musical, como andamento, dinâmica, ritmo, etc. 

 

Mas nem sempre assim foi.

No século XVII, por exemplo, os maestros utilizavam  um bastão pesado (um pau!!!!!), que batiam no chão, marcando a pulsação da música.

 

Foi nesta altura, no período barroco, que viveu o compositor  Jean-Baptiste Lully (1632-1687).

Embora tenha nascido em Itália, foi para França com 14 anos e aí iniciou-se como músico e compositor. Devido ao seu trabalho, muito apreciado em especial pelo Rei Luís XIV, o Rei Sol, foi nomeado compositor oficial do rei, um cargo de grande importância.

Numa das suas actuações enquanto maestro, em que utilizava um bastão para bater a pulsação, com o entusiasmo da interpretação, bateu com ele no pé.

Este acidente provocou-lhe a morte uns dias depois, porque a ferida infectou...e claro... não havia ainda o tão famoso e útil antibiótico.

 

Uma cena do filme "Tous les matins du monde", em que Lully dirige a orquestra. É interpretada uma composição do próprio Lully, "Marcha para a cerimónia dos turcos", uma das minhas preferidas.

Uma nota mais... os instrumentos usados são instrumentos da época de Lully (séc.XVII).

publicado por ProfZ às 22:30 |

 

 

Montagem original de uma foto com quatro músicos... um quarteto.

Da esquerda para a direita: saxofone, trompete, banjo e contrabaixo.

Foto daqui.

 

 

publicado por ProfZ às 09:15 |

 

 

Depois de sonhar com...

 

PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, 

PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, 

PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, 

PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores, PAEB, provas aferidas, turmas, salas, professores classificadores,

 

é bom para descontrair...

 

Estava um passarinho nesta imagem...  alguém o viu?

 

 

publicado por ProfZ às 09:04 |
tags:

 

"A felicidade não consiste em adquirir nem em gozar, mas sim em nada desejar,

consiste em ser livre."

 Epiteto (50-130 a.C.),   filósofo

 

publicado por ProfZ às 09:15 |

 

É muito fácil encontrar exemplos musicais de música erudita  para colocar aqui, porque é muito utilizada também na publicidade.

 

Acabei de ver  na televisão uma publicidade de promoção turística dos Açores. Tem como título "As ilhas de natureza mágica". Tem imagens lindas, claro, e a música... a  "Dança das flores" da Ópera Lakmé de Léo Delibes (1836-1891),  de que já falei neste blog.

Uma excelente escolha por parte dos criadores deste spot publicitário, porque os Açores são sem dúvida... ilhas de flores.

Podem ler de novo e ouvir a música aqui e aqui.

 

publicado por ProfZ às 21:50 |

 

Desde que lecciono, que constatei que  a maioria das crianças e jovens  chamam à música erudita "ópera" ou´"música chata". Sempre leccionei numa zona em que não há muita divulgação da música erudita, nem outra forma de incentivo à sua audição.

Existem outras vivências e práticas musicais também muito importantes. Mas para alargar a cultura musical dos meus alunos, procuro divulgar, de uma forma atractiva (ihihihihih) não só a música erudita, mas também outros géneros musicais.

 

Foi  em parte com este objectivo que nasceu este blog... fazer dele uma extensão das aulas,  procurando divulgar  outras músicas.

Aproveitando as novas tecnologias, em que temos tudo à distância de um clique, coloco aqui exemplos com animações, publicidade ou outro formato, em  que a audição se realize paralelamente com  imagens.

 

O que escolhi para hoje é mais um desses exemplos: "A  Traviata" e esta sim... é uma ópera!

 

"A  Traviata"  de  Gioseppe Verdi (1813-1901) é uma ópera inspirada no romance  "A dama das camélias"  de Alexandre Dumas (filho).

Verdi foi um compositor italiano do período romântico, que conseguiu ter muito êxito  já na sua época. Compôs essencialmente óperas e a "A Traviata", composta em 1853, foi uma excepção na sua carreira, porque não teve muito sucesso. Apesar disso, hoje é uma das suas óperas que mais se realizam em todo o mundo.

 

No vídeo é apresentado um excerto do segundo  acto da ópera "A Traviata" de Verdi, com animações realizadas num material moldável, talvez plasticina... Muito bem feito...

 

publicado por ProfZ às 22:46 |

 

 

O Pirilampo 2008 já chegou  e este ano é da cor do nosso sapinho!

 

Esta coisa pequenina já com 22 anos, é um dos maiores, senão o maior símbolo de solidariedade social em Portugal. Tem como objectivos a informação e sensibilização da opinião pública sobre a problemática da pessoa com deficiência  e a angariação de fundos para apoiar as CERCI's. A campanha deste ano é dedicada ao Desporto (parece que o pirilampo se mexia pouco ...ehehhe) e tem como lema “Pirilampo entra em campo, Portugal sai a ganhar".

 

O Hino do Pirilampo deste ano foi interpretado por Sérgio Godinho, no seu estilo inconfundível,  com a colaboração das Tucanas. "Vai lá"  tem arranjos a cargo de Nuno Rafael e pode ser ouvido aqui.

 

 

publicado por ProfZ às 22:32 |
sinto-me: solidária

"A música está em tudo.

Do mundo sai um hino."

(Victor Hugo)

mais sobre mim
pesquisar no blog
 
arquivo
2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

RSS
SAPO Blogs